Que imagem passar do seu estúdio?

///Que imagem passar do seu estúdio?

Que imagem passar do seu estúdio?

Uma amiga escocesa me alertou há muito tempo, durante uma noitada nos anos 90, na Whisky Society de Edinburgh (http://www.smws.co.uk/), que existem dois tipos de pessoas: as que bebem pelo rótulo da garrafa e as que bebem pelo gosto da bebida.

Aparentemente, mais um entre tantos comentários banais que podem assumir cores de “verdades capitais” ao sabor de um single malt escocês com seus mais de 40 graus GL de teor etílico. No dia seguinte, sem ressaca, afinal um dos orgulhos nacionais da Escócia é que o whisky single malt não dá ressaca, fiquei pensando em como essa afirmação era verdadeira para a vida e para o mundo profissional também.

Você é capaz de reconhecer um som incrível tirado em um estúdio que fede a cigarro, como um cinzeiro gigantesco e com os cones das NS10 amarelados de tanta nicotina? Ou se impressiona mais com uma coleção loopings “a quilo” colados com capricho e reproduzidas por um iPad numa varanda de frente para a Lagoa Rodrigo de Freitas ao cair da tarde do fim do verão carioca?

O papel que embrulha o peixe tem tanta importância quanto o peixe na disputa por um lugar ao sol no mundo profissional da música. Mais ainda: descobrir para quem é mais importante o conteúdo ou a apresentação pode ser crucial. Sim, leitor, da mesma forma que existem os que rejeitam a organização e o método colocando essas duas características sob o injusto rótulo de “caretice”, também conheço casos de clientes que ironizam uma boa apresentação, um bom site, ou até um envelope de CD personalizado (“parece um caderno de estudo de uma estudante do segundo grau”).

Profissionalmente, um não é mais importante do que o outro, principalmente, se você receber o que foi combinado na data idem, mas, naturalmente, você terá menos dificuldades com aqueles cuja maneira de trabalhar é mais compatível com a sua. Por isso mesmo, é tão importante entender como é o tipo do cliente para vender e entregar seu trabalho de maneira mais adequada.

Ressaltar as qualidades e pontos fortes de seu estúdio, ou de seu trabalho, é importante, mas controle-se para achar um caminho entre o pretensioso delirante e o caseiro envergonhado. Não apregoe coisas que depois não possa comprovar. Credibilidade e confiabilidade são pontos que se conquistam ao longo de uma trajetória, mas infelizmente podem ser completamente perdidos numa tacada errada. A entrega de uma peça com um click digital porque não foi conferida adequadamente, um prazo que você não conseguiu cumprir e “sumiu” deixando o cliente esperando, ou um label de CD com a ordem trocada das músicas podem jogar fora toda uma reputação com ou sem envelope customizado.

Se você tem um equipamento de alto nível e quer atrair o cliente com ele, seja específico para manter o encanto e o interesse pelo seu produto. As pessoas fazem muitas coisas por curiosidade e por impulso, mas não gostam nem um pouco de se sentirem enganadas, não é mesmo, leitor? Se você tem em seu arsenal de gravação quatro microfones de marcas diferentes, mas nenhum de qualidade reconhecida, como Neumann, AKG e outros do mesmo nível, não adianta anunciar uma “grande variedade de microfones”.

Se você tem dois teclados velhos, com teclas quebradas e funcionando à base de reza forte, mesmo que eles sejam analógicos, não adianta muito anunciá-los como “variedade de instrumentos vintage à disposição do artista”, porque geralmente interessa mais o quanto eles vão contribuir para música que será feita com a sua produção, e não a foto deles no CD.

Ninguém compra disco, ou trabalho, por ficha técnica, ou lista de equipamento, mas se você tem pontos de venda que acha importantes para se destacar na multidão que habita as páginas da web oferecendo serviços de estúdios de gravação, ou de produtores musicais, faça seu marketing sem medo. Mencione esses fatores dentro de uma perspectiva realista e sempre que possível sem perder o bom humor.

ONDE VOCÊ PREFERIRIA GRAVAR?

1 – Estúdio especializado em pré-produção, trilhas sonoras e teclados como piano acústico de cauda, Minimoog, Prophet5, Oberheim, Korg WaveStation, Access Virus e equipamentos Neumann, Apogee, Neve, Genelec, NS10, Lexicon e muito mais com estacionamento no local.

Ou;

2 – Grave sua música em seis horas em nosso estúdio com equipamento digital de primeira, preços a partir de R$ 300,00 por música e pacotes para CDs imbatíveis. Sucesso garantido a partir de contatos com gravadoras e distribuição digital para fazer de sua música um grande sucesso imediatamente.

Você decide, caro leitor.

2011-03-23T09:11:54+00:00 março 23rd, 2011|Categories: colunas, Sonhos de um Produtor|Tags: , , |

About the Author:

2 Comments

  1. Diógenes março 24, 2011 at 6:59 pm - Reply

    Po… esse cara detona nas dicas! sempre bom as matérias dele!
    parabens pro site de vcs! sucesso!

  2. Fernando Moura março 31, 2011 at 4:03 pm - Reply

    Valeu Diógenes!
    Abraços
    F

Leave A Comment