Projeto Estrombo: novos modelos de negócio para a música

//Projeto Estrombo: novos modelos de negócio para a música

Projeto Estrombo: novos modelos de negócio para a música

A iniciativa tem o objetivo de capacitar, formalizar e apoiar pessoas e empreendimentos do ramo musical para atuarem em novos modelos de negócios e canais de distribuição baseados na internet e nas novas tecnologias

Inauguração do projeto Estrombo
Na noite de inauguração, Carlos Mills, vice-presidente da ABMI, fala da importância do projeto

“Dentre as indústrias criativas, a música se destaca hoje como a mais impactada pelo uso das tecnologias digitais em sua produção, disseminação, distribuição e consumo”. Concordem, ou não, essa citação está publicada no site www.estrombo.com.br. Inaugurado oficialmente no dia 7 de dezembro, em terras cariocas, o Estrombo é um projeto de economia criativa focado no desenvolvimento da indústria da música do Estado do Rio de Janeiro por meio do uso das novas tecnologias

Projeto Estrombo: novos modelos de negócio para a músicaTrata-se de uma união entre o FOMIN/BID (Fundo Multilateral de Investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento), o SEBRAE, a Fundação Getulio Vargas (Centro de Tecnologia e Sociedade) e o site Facebook. Segundo consta no site da iniciativa, “este é o primeiro projeto de economia criativa a ser apoiado pelo BID no mundo, e visa servir de modelo para a implementação de ações semelhantes em outros países latino-americanos”.

Ainda no site do projeto, destaca-se que “o Estrombo tem o objetivo de capacitar, formalizar e apoiar, ao longo de três anos, pessoas e empreendimentos do ramo musical para atuarem em novos modelos de negócios e novos canais de distribuição baseados na internet e nas novas tecnologias. O objetivo é que o mercado se fortaleça e forneça soluções para essa integração com novos canais de distribuição — como, por exemplo, o desenvolvimento de aplicativos para redes sociais e celulares e a integração de músicas com os games em redes como a Rock Band Network, dentre outras”.

O projeto compreende ações nas seguintes áreas:
Inovação e desenvolvimento de mercado
– Integração da cadeia da música com ambientes de vital importância e potencial econômico: redes sociais, celulares e games
 
Capacitação presencial e online 
– Novos modelos de negócio e canais de distribuição 
– Direitos autorais nas novas mídias 
– Empreendedorismo e formalização no mercado da música
Apoio à formalização 
 
Pesquisa 
– Mapeamento da cadeia produtiva da música do Estado do Rio de Janeiro, como forma de subsidiar políticas públicas voltadas para o desenvolvimento e formalização do setor

Feiras de negócios 
– Fomento às oportunidades de negócios para os profissionais da música

Outro ponto levantado pela iniciativa diz respeito ao apoio a uma maior integração da cadeia produtiva da música, incluindo: artistas, produtores, casas de shows, lan houses, DJs, fotógrafos, estúdios, escolas, universidades públicas e privadas, webradios, jornalistas, produtores, coletivos, artistas gráficos, figurinistas, técnicos de som e luz, cenógrafos, game designers e outros profissionais importantes para o desenvolvimento da música nesses novos tempos.

Para os interessados em desenvolver negócios em torno da música, é possível participar do projeto Estrombo. Saiba mais em www.estrombo.com.br, ou acompanhe as novidades do projeto no Twitter e no Facebook.

*Overdubbing no Twitter*   I   * Overdubbing no Facebook *

2010-12-07T21:30:02+00:00 dezembro 7th, 2010|Categories: tendências|Tags: , , |

About the Author:

Leave A Comment